Posted by : Leo Coutinho terça-feira, 27 de novembro de 2012

Culpa é uma palavra pesada. Não é que a culpa seja da mulher que usava roupas provocantes e foi estuprada. Ela não foi estuprada por isso. Ela foi estuprada por que existia um doente mental que resolveu se utilizar de força física para cometer ato sexual com uma mulher que ele nunca teria, mas queria ter! A culpa é dele! Mas ela proporcionou a oportunidade.


 A mocinha utilizava seu telefone linda e bonitamente pelo ônibus, quando foi abordada por um meliante-marginal-bandido-trombadinha-escroto-filho-de-puta que lhe roubou o iPhone. A senhora do banco de trás prontamente a culpou por usar um telefone desses que chama a atenção de bandido. A culpa é dela? Não! A culpa é do marginal-sem-caráter que a roubou! Mas ela proporcionou a oportunidade.

Criança na mão de pedófilo!? O caso aí é mais complexo. A culpa é do pedófilo, claro! Mas é difícil dizer que a criança proporcionou a oportunidade por que, afinal, é uma criança. Criança aqui eu só incluo indivíduos menores de 14 anos.

É muito fácil apontar o dedo da culpa pros meliantes. Mas, infelizmente, isso existe, sabemos que existe, e ainda assim achamos que, por não ser nossa culpa, não temos que nos cuidar.

O sujeito atravessou o sinal vermelho e atropelou um rapaz que ia pra escola. De quem é a culpa? Do motorista é claro! Mas, a culpa do motorista salvou a vida do rapaz? Não! A culpa do ladrão salvou o telefone caro da mocinha? Não! A culpa do estuprador salvou o trama e os machucados da vítima? Não! Então... E daí de quem é a culpa?

Infelizmente esse é um problema acima dos nossos poderes. Existem interesses inimagináveis contra o extermínio de sujeitos como pedófilos, assassinos, estupradores, traficantes e qualquer coisa do tipo. O mercado das drogas, por exemplo, movimenta MUITO MAIS DINHEIRO do que nós jamais poderemos imaginar. Vidas de familiares de quem detem o poder estão na mira de quem virar obstáculo pros esquemas dessa gente doente.

Enfim, não é o foco. O foco é a culpa. Como não há muito o que se fazer pra banir da face da terra a escória humana, não importa de quem é a culpa! O que importa é que você tem que julgar se vale a pena ser lesado por estar certo, ou se vale a pena se resguardar um pouquinho e previnir determinadas ações de mal-feitosos (Chapolin rlz!) contra você.

É justo? Não! Nunca! Não me entenda mal. Mas eu prefiro previnir. Prefiro usar o fone de ouvido pra falar ao telefone, prefiro que minha digníssima e minha filha não se utilizem de roupas provocantes pra evitar abordagens violentas, prefiro passar valores pra minha filha e tentar controlar o mínimo do que ela faz tanto pela web quanto pela vida, e prefiro esperar os carros pararem pra atravessar a rua, pois o que para carro é freio e não sinal vermelho.

Infelizmente a vida não tá sendo muito justa com os justos. Mas é melhor previnir do que remediar. Odeio essa situação que a raça humana chegou, mas é essa a verdade. =(

{ 1 pingada! }

  1. A vida não é justa com os justos porque a raça humana é burra e beneficia os injustos sempre que se pode fazer justiça.
    Justça boa é a minha. Não é a do homem e nem a de Deus. A minha justiça é a mais justa e ponto final!

    ResponderExcluir

Mais Lidos

Facebook

O Mijão no Instagram

Pingos pelo Twitter

- Copyright © Pingo na Cueca -Metrominimalist- Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -