Archive for Novembro 2012

Valeu espertões!

Hoje aconteceu uma situação que me fez rir da cara dos sujeitos que são espertos pra cacete, mas burros como portas.


Breve explicação: A foto acima eu mesmo tirei, hoje, as 7:55 mais ou menos... Como podem constatar, a fila das Barcas SA, na estação Araribóia (Niterói, RJ) estava giganetsca, visto que a estação é aquela casinha amarela lá ao fundo. Essas filas se espalham pra dois lados: pro lado do Plaza shopping, que fica a mais ou menos 600 metros da estação; e pro Bay Market, que fica a mais ou menos 400 metros da estação.

Quando cheguei ao Centro e avistei a fila que fica ao lado do Bay Market, me espantei pq a fila estava exatamente no Bay Market! Como eu não conseguia ver a fila que ia na direção do Plaza, fui pra lá. Pra minha surpresa, a fila estava chegando ao Plaza, ou seja, maior ainda! Como já tinha andado aquilo tudo, fiquei na maior mesmo.

E começamos a andar aos poucos na fila. Uns 5 minutos depois foi quando resolvi tirar essa foto. A fila crascia mais rápido do que andava pra frente. Pros dois lados, claro. Enfim, uns 20 minutos depois eu cheguei perto da estação quando vi outra fila se formando. Pequena. E o povo que ia chegando espertamente ia se postando nela.

Nessa hora fiquei puto! Porra, muita sacanagem eu encarar mais de meio quilômetro de fila e esse povo espertão chegando agora pegando fila "pequena" (uns 100 metros de fila)... Mas comecei a pensar com meus botôes... Não havia espaço para uma fila nova, pequena. Essa porra vai dar merda pra essas pessoas. E deu!

A fila "pequena" que eles entraram não era uma nova fila, mas sim a ponta da fila que já estava dando VOLTA no Bay Market! HAUhUAhUAhUHAuHA! SE FU-DE-RAM! E eu confesso que torci pra isso. Quando chegaram na porta da estação e viram que a fila não apontava para a estação e sim pro Bay Market, ficaram com cara de empadinha de camarão com azeitona podre! HAUHAUhUAhUHAuAhA!

Nessas horas a gente vê a prova de que Deus existe e é justo!
quarta-feira, 28 de novembro de 2012
Posted by Leo Coutinho

A culpa é de quem!?

Culpa é uma palavra pesada. Não é que a culpa seja da mulher que usava roupas provocantes e foi estuprada. Ela não foi estuprada por isso. Ela foi estuprada por que existia um doente mental que resolveu se utilizar de força física para cometer ato sexual com uma mulher que ele nunca teria, mas queria ter! A culpa é dele! Mas ela proporcionou a oportunidade.


 A mocinha utilizava seu telefone linda e bonitamente pelo ônibus, quando foi abordada por um meliante-marginal-bandido-trombadinha-escroto-filho-de-puta que lhe roubou o iPhone. A senhora do banco de trás prontamente a culpou por usar um telefone desses que chama a atenção de bandido. A culpa é dela? Não! A culpa é do marginal-sem-caráter que a roubou! Mas ela proporcionou a oportunidade.

Criança na mão de pedófilo!? O caso aí é mais complexo. A culpa é do pedófilo, claro! Mas é difícil dizer que a criança proporcionou a oportunidade por que, afinal, é uma criança. Criança aqui eu só incluo indivíduos menores de 14 anos.

É muito fácil apontar o dedo da culpa pros meliantes. Mas, infelizmente, isso existe, sabemos que existe, e ainda assim achamos que, por não ser nossa culpa, não temos que nos cuidar.

O sujeito atravessou o sinal vermelho e atropelou um rapaz que ia pra escola. De quem é a culpa? Do motorista é claro! Mas, a culpa do motorista salvou a vida do rapaz? Não! A culpa do ladrão salvou o telefone caro da mocinha? Não! A culpa do estuprador salvou o trama e os machucados da vítima? Não! Então... E daí de quem é a culpa?

Infelizmente esse é um problema acima dos nossos poderes. Existem interesses inimagináveis contra o extermínio de sujeitos como pedófilos, assassinos, estupradores, traficantes e qualquer coisa do tipo. O mercado das drogas, por exemplo, movimenta MUITO MAIS DINHEIRO do que nós jamais poderemos imaginar. Vidas de familiares de quem detem o poder estão na mira de quem virar obstáculo pros esquemas dessa gente doente.

Enfim, não é o foco. O foco é a culpa. Como não há muito o que se fazer pra banir da face da terra a escória humana, não importa de quem é a culpa! O que importa é que você tem que julgar se vale a pena ser lesado por estar certo, ou se vale a pena se resguardar um pouquinho e previnir determinadas ações de mal-feitosos (Chapolin rlz!) contra você.

É justo? Não! Nunca! Não me entenda mal. Mas eu prefiro previnir. Prefiro usar o fone de ouvido pra falar ao telefone, prefiro que minha digníssima e minha filha não se utilizem de roupas provocantes pra evitar abordagens violentas, prefiro passar valores pra minha filha e tentar controlar o mínimo do que ela faz tanto pela web quanto pela vida, e prefiro esperar os carros pararem pra atravessar a rua, pois o que para carro é freio e não sinal vermelho.

Infelizmente a vida não tá sendo muito justa com os justos. Mas é melhor previnir do que remediar. Odeio essa situação que a raça humana chegou, mas é essa a verdade. =(
terça-feira, 27 de novembro de 2012
Posted by Leo Coutinho
Tag :

Dia de Merda (Veríssimo)

Bom... Estou passando por maus momentos com meu sistema digestivo. Minha barriga tem conversado comigo como nunca antes. E, devido a minha fraqueza física (desidratação), não tô conseguindo elaborar um post bacana pra vocês.

Porém, minha condição diarréica me lembrou esse excelente texto do Luiz Fernando Veríssimo, que vale a pena ler de novo! =)


Um dia de merda

Luiz Fernando Veríssimo (verídico)

Aeroporto Santos Dumont, 15:30. Senti um pequeno mal estar causado por uma cólica intestinal, mas nada que uma urinada ou uma barrigada não aliviasse. Mas, atrasado para chegar ao ônibus que me levaria para o Galeão, de onde partiria o vôo para Miami, resolvi segurar as pontas. Afinal de contas são só uns 15 minutos de busão. “Chegando lá, tenho tempo de sobra para dar aquela mijadinha esperta, tranqüilo”. O avião só sairia às 16:30.

Entrando no ônibus, sem sanitários, senti a primeira contração e tomei consciência de que minha gravidez fecal chegara ao nono mês e que faria um parto de cócoras assim que entrasse no banheiro do aeroporto. Virei para o meu amigo que me acompanhava e, sutil, falei: “Cara, mal posso esperar para chegar na merda do aeroporto porque preciso largar um barro”. Nesse momento, senti um urubu beliscando minha cueca, mas botei a força de vontade para trabalhar e segurei a onda. O ônibus nem tinha começado a andar quando, para meu desespero, uma voz disse pelo alto falante: “Senhoras e senhores, nossa viagem entre os dois aeroportos levará em torno de 1 hora, devido às obras na pista”. Aí o urubu ficou maluco querendo sair a qualquer custo. Fiz um esforço hercúleo para segurar o trem merda que estava para chegar na estação ânus a qualquer momento. Suava em bicas.

Meu amigo percebeu e, como bom amigo que era, aproveitou para tirar um sarro. O alívio provisório veio em forma de bolhas estomacais, indicando que pelo menos por enquanto as coisas tinham se acomodado. Tentava me distrair vendo TV, mas só conseguia pensar em um banheiro, não com uma privada, mas com um vaso sanitário tão branco e tão limpo que alguém poderia botar seu almoço nele. E o papel higiênico então: branco e macio, com textura e perfume e, ops, senti um volume almofadado entre meu traseiro e o assento do ônibus e percebi, consternado, que havia cagado. Um cocô sólido e comprido daqueles que dão orgulho de pai ao seu autor. Daqueles que dá vontade de ligar pros amigos e parentes e convidá-los a apreciar na privada. Tão perfeita obra, dava pra expor em uma bienal. Mas sem dúvida, a situação tava tensa. Olhei para o meu amigo, procurando um pouco de solidariedade, e confessei sério: “Cara, caguei”.

Quando meu amigo parou de rir, uns cinco minutos depois, aconselhou-me a relaxar, pois agora estava tudo sob controle. “Que se dane, me limpo no aeroporto” – pensei. “Pior que isso não fico”. Mal o ônibus entrou em movimento, a cólica recomeçou forte. Arregalei os olhos, segurei-me na cadeira, mas não pude evitar e, sem muita cerimônia ou anunciação, veio a segunda leva de merda. Dessa vez, como uma pasta morna. Foi merda para tudo que é lado, borrando, esquentando e melando a bunda, cueca, barra da camisa, pernas, panturrilha, calças, meias e pés. E mais uma cólica anunciando mais merda, agora líquida, das que queimam o fiofó do freguês ao sair rumo à liberdade. E depois um peido tipo bufa, que eu nem tentei segurar, afinal de contas o que era um peidinho para quem já estava todo cagado. Já o peido seguinte, foi do tipo que pesa. E me caguei pela quarta vez.

Lembrei de um amigo que certa vez estava com tanta caganeira que resolveu botar modess na cueca, mas colocou as linhas adesivas viradas para cima e quando foi tirá-lo levou metade dos pêlos do rabo junto. Mas era tarde demais para tal artifício absorvente. Tinha menstruado tanta merda que nem uma bomba de cisterna poderia me ajudar a limpar a sujeirada. Finalmente cheguei ao aeroporto e, saindo apressado com passos curtinhos, supliquei ao meu amigo que apanhasse minha mala no bagageiro do ônibus e a levasse ao sanitário do aeroporto para que eu pudesse trocar de roupas. Corri ao banheiro e, entrando de boxe em boxe, constatei a falta de papel higiênico em todos os cinco.

Olhei para cima e blasfemei: “Agora chega, né?” Entrei no último, sem papel mesmo, e tirei a roupa toda para analisar minha situação (que conclui como sendo o fundo do poço) e esperar pela minha salvação, com roupas limpinhas e cheirosinhas e com ela uma lufada de dignidade no meu dia.

Meu amigo entrou no banheiro com pressa, tinha feito o “check-in” e ia correndo tentar segurar o vôo. Jogou por cima do boxe o cartão de embarque e uma maleta de mão e saiu antes de qualquer protesto de minha parte. Ele tinha despachado a mala com roupas. Na mala de mão só tinha um pulôver de gola “V”. A temperatura em Miami era de aproximadamente 35 graus.

Desesperado, comecei a analisar quais de minhas roupas seriam, de algum modo, aproveitáveis. Minha cueca joguei no lixo. A camisa era história. As calças estavam deploráveis e, assim como minhas meias, mudaram de cor tingidas pela merda. Meus sapatos estavam nota 3, numa escala de 1 a 10. Teria que improvisar. A invenção é mãe da necessidade, então transformei uma simples privada em uma magnífica máquina de lavar. Virei a calça do lado avesso, segurei-a pela barra, e mergulhei a parte atingida na água. Comecei a dar descarga até que o grosso da merda se desprendeu.

Estava pronto para embarcar. Saí do banheiro e atravessei o aeroporto em direção ao portão de embarque trajando sapatos sem meias, as calças do lado avesso e molhadas da cintura ao joelho (não exatamente limpas) e o pulôver gola “V”, sem camisa. Mas caminhava com a dignidade de um lorde.

Embarquei no avião, onde todos os passageiros estavam esperando “O RAPAZ QUE ESTAVA NO BANHEIRO” e atravessei todo o corredor até o meu assento, ao lado do meu amigo que sorria. A aeromoça se aproximou e perguntou se precisava de algo. Eu cheguei a pensar em pedir 120 toalhinhas perfumadas para disfarçar o cheiro de fossa transbordante e uma gilete para cortar os pulsos, mas decidi não pedir: “Nada, obrigado. Eu só queria esquecer este dia de merda!”
quarta-feira, 21 de novembro de 2012
Posted by Leo Coutinho

Acordando Cedo

Me diz.... Pq a gente tem que acordar cedo? É simplesmente insuportável acordar com um despertador gritando no seu ouvido, no melhor do sono.


Quem foi o imbecil que disse que isso e necessário e todo mundo acreditou? As pessoas seriam muito mais felizes e produtivas se acordassem normalmente e depois trabalhassem as mesmas 8 horas... Dias como hoje deviam ser proibidos...

A pessoa acorda as 4 da manhã... As 4:30 percebe que não consegue dormir.... Depois de entender o que está acontecendo..., ela volta pra dormir as 4:40, desesperada pq não vai dormir mais e o despertador, aquele fdp, vadio, vai tocar daqui a vinte minutos, aí, ela resolve chegar mais tarde, mais ainda assim antes das 8, seu horário normal, e coloca o maldito pra 5:40, pelo menos assim, você vai ter uma horinha de sono...

E que sono... Delicioso sono... Tão delicioso que o miserável do despertador tocou por 6 minutos sem ser ouvido... E olha que eu sempre escuto na primeira nota, ou ruído, ou barulho. Aquela preguiça, aquele sono perfeito e reparador, tão raro e perfeito pra quem tem distúrbio do sono como eu.

E? Nem dá tempo de fazer preguiça... Tem que levantar correndo, senão, ainda tem alguém que acorda nesse horário e entre no banheiro na sua frente... E ele ja está aposentado a mais de 15 anos, devia estar em casa, na praça jogando carta, mas insiste em trabalhar... Mas eu amo meu avô!

Pra melhorar... Na correria e sono, coloquei a primeira roupa que vi... Não percebi que o tempo tinha virado e vou morrer de frio o dia todo! Ainda pra fechar o início do dia... tá chovendo quando a barca atraca no Rio, e você pegou o guarda-chuva? Claro que achou que não ia chover assim, tão cedo...

E... Incrivelmente, depois de todos os xingamentos já proferidos hoje, estou de bom, eu diria até, excelente humor... Aff, vamos começar o dia! =D

(By Roberta Petersen via Facebook)
terça-feira, 13 de novembro de 2012
Posted by Leo Coutinho

Brasil Classe Média

Genial! Simplesmente genial!

Finalmente o Brasil não é mais um país pobre! Já podemos bater no peito e dizer que habitamos uma nação de classe média! Quiçá uma nação rica!


Nossa querida, adorada, amada e idolatrada salve salve, PresidenTa fez o que prometeu! Transformou o Brasil em uma economia de classe média. Mas não! Ela não aumentou o poder aquisitivo de ninguém! Ela simplesmente refez a divisão de classes sociais!

Gente, se isso não é genial, eu não sei o que é. Sério. Como ninguém pensou nisso antes!? Que tipo de incomPeTentes elegemos até hoje?! Vocês não sentem vergonha de passar a vida inteira elegendo as pessoas erradas!? Eu sinto. E olha que ainda tenho 30 tenros aninhos.

O fato é que pra ser considerado pobre hoje no Brasil o caboclo tem ganhar aproximadamente entre 70 e 140 reais mensais! Acima disso já é classe média!!!!!!!!

Uma salva de palmas pra nossa PresidenTa por favor!
*Clap clap clap*

Hoje, indivíduo com renda superior a aproximadamente 2400 reais (estou arredondando valores tá gentes!) é considerado RYCO! Isso mesmo! Com moradia custando mais de, sei lá, 5 mil reais por metro cúbico, transporte levando 6% da renda do trabalhador, saúde custando os tufos (pq a saúde pública é um LIXO!), cesta básica girando em torno de 80 reais, esse país considera CLASSE MÉDIA quem ganha 141 REAIS!

Sem contar o salário mínimo, que é simplesmente vergonhoso. Mas vejam bem caros amigos... O salário mínimo deixa o brasileiro com folgas dentro do patamar da Classe Média! Logo, o salário mínimo é JUSTO, dentro da cabeça dessa PuTada!

Lembrando que quem gerencia esse país ganha um salário módico de mais de 20 mil reais... Isso os colocaria em uma classe inexistente (ou pelo menos eu desconheço) entre "ricos pra caralho" e milionários!

Detesto política, não sou de defender partidos. Pra mim é tudo farinha do mesmo saco. Mas eu sinto muita vontade de dar um tiro no fdp que bate orgulhoso na estrela no peito de sua camisa vermelha...

[EDITADO]
Achei essa imagem no Twitter em setembro de 2014 (véspera das eleições) e ela ilustra bem o que disse em novembro de 2012.


sexta-feira, 9 de novembro de 2012
Posted by Leo Coutinho
Tag :

Piada Política - O Incêndio

Vou postar uma piada mesmo que recebi por e-mail e gostei...


O Incêndio

Um prédio de 4 andares foi totalmente destruído pelo fogo; um incêndio terrível.

Todas as pessoas das 10 famílias de Sem-teto, que haviam invadido o 1º andar, filhos de presidiários que ganham salário de R$ 850,00, faleceram no incêndio.

No 2º andar, todos os componentes das 12 famílias de retirantes, que viviam dos proventos da "Bolsa Família", também não escaparam.

O 3º andar era ocupado por 4 famílias de ex guerrilheiros, todos beneficiários de ações bem sucedidas contra o Governo, filiados a um ParTido político influente, com altos cargos em estatais e empresas governamentais, que também faleceram.

No 4º andar viviam engenheiros, médicos, advogados, professores, empresários, militares, policiais militares, bancários, vendedores, comerciantes e trabalhadores com suas famílias. Todos escaparam.

Imediatamente a "Presidenta da Nação" indignada e toda a sua assessoria mandou instalar um inquérito para que o "Chefe do Corpo de Bombeiros" explicasse a morte dos "queridos cumpanheiros" e por que somente os moradores, do 4º andar haviam escapado.

O Chefe dos Bombeiros prontamente respondeu: 
- Eles não estavam em casa. Tinham saído para trabalhar.
Posted by Leo Coutinho

Tons pra caralho!

A moda entre a mulherada é a saga "50 Tons"... Bom, penso que esses livros só podem ser femininos, pq homens não enxergam nem 16 cores diferentes, quem dirá 50 tons de uma única cor... É tom pra caralho meu irmão! Essa porra desses tons não devem nem ter nome. Cinza claro, cinza escuro, cinza meio esverdeado puxado pro azul...


Se não for RGB ou CMYK é impossível dizer o nome de 50 tons de uma cor só. Impossível pra homens, claro. Mulheres sabem todas as cores do alfabeto. E se elas não sabem, elas inventam. O famoso bege pra nós homens, virou nude e variações pra elas...

Eu, particularmente, não sei a diferença entre roxo e lilás. Pra mim é tudo rosa. Sem diferença. Mas elas tem um olhar felomenal que consegue te dizer com perfeição aquela cor em qualquer escala, desde Pantone até Wellaton.

Exemplificando, o que conhecemos como Vermelho pra elas vai de Vermelho Inferno 666 até Vermelho Morango com Chantilly e Aveia e Mel 5546 na escala Wellaton. Imaginem que a diferença entre os vermelhos é: NENHUMA! Sério! Você vai olhar praquelas cores e não vai conseguir identificar diferença!


Enfim... O livro, pelo que tô sabendo, é um "Brasileirinhas para meninas", ou seja, sem gravuras. Fala sobre putarias sadomasoquistas feitas por um fodão pirocudo com uma virgenzinha-desvirginada-pelo-fodão-pirocudo de fazer inveja à Mulher Gato e ao Batman... Só que ao invés de pau, cu e buceta, deve falar pênis, ânus e vagina... Pq a mulherada gosta de sacanagem, mas tem que ter respeito e educação.


Exemplificando, ao invés de "Então Dr. Cinza meteu o pau até o talo na bucetinha encharcada da Escrava Anastácia" (na moral! Anastasia pra ser escrava sexual é cliché pra caralho!) o livro fala "Então Dr. Cinza introduziu seu pênis ereto por toda profundidade da vagina humidificada da colaboradora Anastácia".

Ou seja... Um livro que utiliza escalas de cores impossíveis e fala sobre putaria sem falar putaria só pode ser de mulher!

Notas:
(1) Não li o livro. Estou falando besteiras da minha cabeça pra que o post pareça um absurdo sexista.
(2) Não sou sexista. Tentem fazer um post de humor absurdo. Mas foda-se pq eu não tô nem aí pro que acham de mim.
(3) Anastasia... Puta que pariu.
(4) Apesar do exagero, FATO que não percebemos tantas cores quanto las muchachas.
(5) Chega!
segunda-feira, 5 de novembro de 2012
Posted by Leo Coutinho

Mais Lidos

Facebook

O Mijão no Instagram

Pingos pelo Twitter

- Copyright © Pingo na Cueca -Metrominimalist- Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -