Posted by : Leo Coutinho terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Quilometragem...

Dizem os poetas da internet que cada centímetro de piroca que entra e sai de uma mulher é o que define a quilometragem de rodagem de uma mulher.

Por exemplo, falando em médias, peguem papel e caneta:
Uma transa dura 7 minutos. 60 penetrações por minuto. 420 penetrações pro transa.
Se a piroca média é de 15cm, a mulher recebe por transa 6300cm de piroca, ou seja, 63 metros.
Considerando 3 fodas por semana e 52 semanas no ano, são 156 fodas no ano.
Fazendo as contas, são 9828 METROS de pica por ano! Quase 1KM de piça!


Contando direitinho. Uma mulher de 25 anos que teve sua vida sexual iniciada aos 17 anos levou o equivalente a 80Km (OITENTA QUILÔMETROS) de rola só na perseguida, sem contar oral e anal!!!

Isso, claro, em média...

Vou contar uma historinha...

Tinha esse cara, digamos que o nome dele seja Ariosvaldo, que era louco por essa menina, hummmmmm, de nome Zeferina.

Ele, que carinhosamente chamarei de Ari, era tão louco por ela que a colocava acima de tudo e de todos. Era a mulher mais linda do mundo. Mais legal. Mais tudo! Mas, como toda história de amor que se preze, o amor de Ari não era correspondido por Zeferina, doravante chamada Zefa.

Zefa sabia do seu charme, e principalmente, sabia que exercia um grande poder sobre Ari. Zefa, apesar de ser uma garota legal, era uma garota disputada. Todos os rapazotes da cidade queriam a Zefa. E muitos a tiveram. Afinal, era uma bela garota que gostava de rapazotes.

Certo dia, Zefa decidiu que devia dar uma chance a Ari, que também era um bom rapazote, mesmo não sendo muito belo. Ari era engraçado, carinhoso, cativante. Zefa queria sentir um pouco disso, já que com os outros rapazotes Zefa só tinha experimentado o sexo, mas nenhum sentimento.

Ari, feliz com a chance, fez tudo como manda o figurino! Levou Zefa ao teatro, riram bastante, foram jantar por conta do Ari, sempre cavalheiro. Conversaram, mais risadas. Ari levou Zefa ao melhor motel da cidade! Tiveram uma noite de amor maravilhosa! Zefa nunca tinha experimentado essa sensação antes! Ela tinha encontrado seu homem!

Ari manteve aquele sonho pra ele, esperando que fosse real. E era. Zefa queria Ari e Ari queria Zefa. Depois de mais umas noites, Ari tomou coragem e pediu Zefa em namoro. Ela disse sim! Os dois ficaram tão felizes que Ari foi correndo contar pros seus amigos.

Ligou para seu melhor amigo, Washington, e desembestou a falar:

- Oi Tom! Ari! Beleza?! Sabe a Zefa... Então... Eu...

Antes de terminar de contar, porém, foi subitamente cortado por Tom.

- Sei sim. Da rua de cima?! Já comi muito! Que bundinha gostosa e apertada!

Ari, desconcertado, desconversou e não contou a novidade. Ligou então para Fulano de Tal, famoso na cidade, amigo de infância de Ari. Fulano morava fora do país, mas sempre vinha visitar a família e por acaso estava na cidade...

- Fala Tal! Ari! Tranquilo cara?! Como tá a família?!
- E aí Ari! Que surpresa boa você me ligar! A família vai bem! E você?! Novidades!?
- Tenho sim! Lembra da Zefa?!
- Lembro porra! Da rua de cima?! Lembro muito! Mês passado, quando vim visitar meus pais, levei ela prum motel... Sabe como é, estudando fora, bem sucedido, foi fácil. Boquete mais gostoso da cidade é o dela, sem dúvida! O que tem?!
- Errrr... Nada demais. Deixa pra lá...

Ari não sabia mais pra quem ligar. Estava com medo da conversa. Sua empolgação diminuía a cada segundo... Não que Ari quisesse uma mulher virgem. Ele não tinha essa ilusão. Mas já são 2 x 0. O encanto começa a ser quebrado...

Decide então ligar pra Tilambúrcia, amigona de sempre! Não era possível que Tila já tivesse tido um caso amoroso com Zefa...

- Tila! Ari! Tudo bom!
- Oi Ari! Tudo ótimo! E você?!
- Vou bem... Você por acaso lembra da Zefa?!
- Dá rua de baixo!?

Tila não morava na mesma rua de Ari. Se conheceram na escola e não eram vizinhos, mas moravam perto.

- Sim! Ela mesma!
- Lembro sim. Vagabunda total. Estudou com meu irmão no segundo grau. Meu irmão já me falou um monte dela. Certa vez ela deu pra ele e mais dois em uma festa. Ele disse que ia um em cada buraco e eles iam revesando. Os três gozaram na boca dela e ela engoliu tudinho! Meu irmão disse que a safada ainda queria mais e saiu da festa com outro carinha. Gulosa demais!

TU-TU-TU...

Ari desligou e mais tarde falou que caiu a ligação...

Ari não aguentou. Que vantagem tinha namorar a mulher mais linda da cidade se todos já a tinham provado. Que novidade contar pros amigos se todos saberiam que Ari estava dando bitocas na cabeça da piroca de cada um deles por tabela!?

O encanto de Ari acabou. Ari desistiu do namoro. Ari começou a perceber que não são os homens que não valorizam as mulheres, mas elas mesmo que não se dão valor. Ari começou a tratar Zefa como pedaço de carne e a comeu mais um pouquinho porque a vagabunda só merecia isso. Zefa sofreu. Ari se conformou. Fim.

Leave a Reply

Subscribe to Posts | Subscribe to Comments

Mais Lidos

Facebook

O Mijão no Instagram

Pingos pelo Twitter

- Copyright © Pingo na Cueca -Metrominimalist- Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -