Posted by : Leo Coutinho segunda-feira, 23 de maio de 2011

Minha relação afetivo-amorosa com banheiros é intensa. Eu gosto muito deles, mas eles me detestam. Ainda não sei o por que, mas os banheiro definitivamente têm algo contra mim.

Eu gosto do banheiro porque é um lugar onde eu fico à vontade. Peido, mijo, cago, tiro meleca... Enfim, fico MUITO à vontade. E são nesses momentos de descontração pessoal que me aparecem boas ideias. Nunca nenhuma brilhante, mas boas o suficiente. (O que obviamente não é o caso desse post)


Minha relação de amor começou quando descobri a minha terrivelmente chata doença no intestino (colite eosinofílica, pra quem quiser pesquisar), o que me faz passar algum tempo sentadinho no trono como um rei. Sem contar com os meu banhos quentes de meia hora, que eu gosto muito!

Mas o meu amor não é correspondido. Qualquer assento de vaso sanitário é maldito e sempre "cai" sozinho quando eu, na minha condição de homem-varão-macho-alpha, vou mijar obviamente em pé! Não importa o quão inclinado para trás o assento esteja, ele faz cosplay de guilhotina e tenta decepar minha cabeça! Sem contar com as inúmeras vezes em que a latrina estava entupida e eu só percebi depois de ter me aliviado do "#2".


Mas esse sábado me aconteceu uma coisa ótima. O ralo do chuveiro entupiu. Até aí normal, acontece, é só abrir e tirar o acúmulo de cabelo que lá adentrou. Mas não. Era eu ali. Os banheiros me detestam! Não se esqueçam disso... A porra da água subiu pelo ralo de fora do box e alagou o banheiro inteiro! Minhas namoradas de papel, Jaqueline (Playboy) e Talula (VIP), morreram afogadas!


Meus banhos, como eu disse anteriormente, são de aproximadamente meia hora, ou seja, alagou pra caralho! Os tapetes chegavam a boiar. A roupa que estava no chão estavam mais molhadas do que quando a gente coloca as delicadas peças de molho num balde! Caos total!


Eu, como péssima dona de casa que sou, não sabia o que fazer. Abri os ralos, enfiei a maior chave de fenda que eu tenho e tentei desentupir o bagulho. Em vão. Nada adiantou. Então me lembrei de uma coisa que meu amado e falecido avô fazia: jogar DIABO VERDE no ralo.

Mermão! Que produto do capeta! Aquilo não se chama DIABO verde a toa... Quer dizer... O diabo eu entendo, porque aquilo não é coisa de Deus... Mas o verde eu não entendo porque o bagulho é branco! Enfim... Comprei o produto, li as instruções e não obedeci. O que era pra ser 3 colheres de produto no ralo virou meio pote! Virei aquela porra no ralo e só ouvi o "tssssss" que ele fiz. Satisfação! Aquilo ia funcionar. Deixei passar uns 10 minutos (15 minutos são recomendados) e voltei pra terminar de limpar o banheiro.


Acho que hoje o banheiro tem medo de mim. A água desce que é uma beleza. Não dá nem tempo de encher uns 100 ml de ralo. Agora eu já sei como tratar a nossa relação quando ele se zangar comigo...

{ 2 pingada! }

  1. HAHAHAHAAHAHAHAHAHAHA PORRA, SÓ COM VC MESMO HEIN HAUAHAUAHAUAHAUAHAUA

    ResponderExcluir
  2. Rodrigo da Costa Coutinho25 de maio de 2011 09:38

    Uhauahauahauhua
    Não consigo parar de rir
    Vc é inigualável, muleque!

    ResponderExcluir

Mais Lidos

Facebook

O Mijão no Instagram

Pingos pelo Twitter

- Copyright © Pingo na Cueca -Metrominimalist- Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -